menu >
Georg Brintrup logo

Palestrina


PALESTRINA - PRÍNCIPE DA MÚSICA

A Libertação da Música

cena do filme PalestrinaQuando Giovanni Pierluigi da Palestrina (Ioannes Petrus Loisius Praenestinus, ca. 1525-1594) morreu, deixou para a posteridade uma herança de quase mil composições.


O filme visa delinear uma ponte ideal ligando-se à música do compositor, para mostrar como o eco do som criado por ele é, ainda hoje, capaz de impressionar a consciência moderna. Com o auxílio da técnica de vídeo de alta definição, o diretor procura transmitir a vitalidade da arte musical de Palestrina e mostrar as razões do músico ter sido chamado "Príncipe da Música". Na cultura ocidental, suas obras-primas são comparáveis aos afrescos de Michelangelo e de Rafael, aos dramas de Shakespeare ou às descobertas de Galileu. Diante de suas composições, os rumores e o barulho do cotidiano contemporâneo se mostram aquilo que são: uma pátina de pó sutil que poluem a verdadeira força vital que mora no espírito do homem. A música de Palestrina pode acordar aquela força capaz de mover os grãos de poeira suspensos nos raios de luz como se fossem planetas do universo; de tornar as estrelas gotas em um oceano de silêncio; de transformar um edifício da renascença em uma arquitetura minimalista.


No filme, o protagonista não aparece sempre "in persona". Além dele, são introduzidos também seus amigos e seus inimigos, que revelam os diversos aspectos do homem e do artista. Biografia, técnica da composição, lógica subjacente às ações e às escolhas são apresentadas através da luz refletida de seus contemporâneos que comentam ou recordam fatos importantes: membros do clero romano, príncipes, músicos, alguns de seus ex-alunos, e seus familiares, e, por fim, um moderno regente de coro de Roma de hoje, filmado em campo, enquanto trabalha com seus cantores. O percurso narrativo visa contextualizar o artista e sua obra em um ambiente de grandes contradições e tensões conceituais, artísticas, sociais e religiosas.


Um grupo de vozes masculinas executa as músicas, a doze, a seis, a cinco ou a quatro vozes. Os solistas não são filmados de maneira fixa no espaço das igrejas e dos outros lugares de ação, mas são eles os "atores", núcleo/centro e ao mesmo tempo elemento unificante do filme. Um corpo ressonante onde cada voz é, entretanto, independente das outras. O grupo faz o comentário acústico à biografia deste grande mestre, através de algumas das obras mais famosas, mas também de composições menos conhecidas.


A música de Palestrina se encontra sempre no limite, naquele espaço mágico onde reina o silêncio absoluto, onde tudo está suspenso, onde cada um é capaz de abrir-se ou também fechar-se. Onde é visível a ambiguidade própria da vida. É deste lugar que se move e se desenvolve o suspense do filme. Serão, então, as imagens a conduzir a música, a colocar a música em cena.

VEJA O FILME EM STREAMING NO VIMEO

ITÁLIA, 52', HD, cor
Produção: Brintrup Filmproduktion/ LICHTSPIEL ENTERTAINMENT / ZDF / ARTE

INTÉRPRETES Domenico Galasso - Iginio; Stefano Oppedisano - Annibale; Claudio Marchione - Cristoforo; Renato Scarpa - Mons. Cotta; Achille Brugnini - Gioacchino; Remo Remotti - Filippo Neri; Giorgio Colangeli - L. Barré; Pasquale di Filippo - G. Severini; Franco Nero - D. Ferrabosco; Daniele Giuliani - il giovane Palestrina; Bartolomeo Giusti - l'anziano Palestrina; Patrizia Bellezza - Virginia Dormuli; Francesca Catenacci - Lucrezia Gori; Jobst Grapow - cardinale Vitelli
MUSICISTAS Antonio Giovannini - contralto; Jean Nirouët - contralto; Maurizio Dalena - tenore;
Renato Moro - tenore; Raimundo Pereira - tenore; Luigi Petroni - tenore; Aurio Tomicich - basso; Andrea Damiani - liuto; Andrea Coen - organo e flauto; Elisabetta Di Filippo - tamburello; Radu Marian - sopranista
CORAIS Ensemble Seicentonovecento - Cappella Musicale di San Giacomo - Coro di Voci bianche "J. J. Winckelmann"
COREOGRAFIA Gloria Giordano
DIREÇÃO MUSICAL Flavio Colusso - direttore; Donatella Casa – regente de coro infantil
FOTOGRAFIA Benny Hasenclever, Paolo Scarfó, Piergiorgio Mangiarotti, Oliver Kochs, Jorge Alvis
SOM / MIXAGEM SOM Francesco Sardella
FIGURINOS Raffaele Golino
CENOGRAFIA Änne Schatz-Kölsch
GRÁFICA Carmine de Lillo
ANIMAÇÃO 3DFX Piero Perilli
ROTEIRO Georg Brintrup, Mario Di Desidero
DIREÇÃO / MONTAGEM Georg Brintrup
REDAÇÃO Christopher Janssen
PRODUÇÃO Lichtspiel Entertainment GmbH em colaboração com ZDF e ARTE - Scarfilm Italia
ESTRÉIA MUNDIAL Auditorium Parco della Musica, Roma - 11 novembro 2009
ESTRÉIA TV ARTE Germania e Francia - 15 março 2010
RETRANSMISSÃO RAI 3 - RAI educational - RAI storia - SVT
FESTIVAL

Prix International du Documentaire e du Reportage Mediterraneen - 15esima edizione
11-th International Television Festival ECO, Ohrid Macedonia - 02 - 05 Junho 2010
AAFF 2010 COMPETITION - AsoloArtFilmfestival
Golden Prague International Television Festival - outubro 16 - 20, 2010
L'AQUILA INTERNATIONAL FILMFESTIVAL - outubro 20 - 24, 2010

FIFA - Festival International du Film sur l'Art - Montreal - março 17 - 27, 2011
GALERIA COM ALGUMAS FOTOS DO FILME